string(7) "#ffb408" Saltar para o conteúdo principal Mapa do Site Ajuda de navegação e acessibilidade web

E assim começa uma nova temporada no LU.CA

Começamos uma nova fase do ano, preparamo-nos para o início das aulas, constatamos que as roupas de inverno não nos servem porque crescemos e que ter mais 5 centímetros de altura faz o mundo parecer diferente. É, pois, partindo do entendimento do que está à nossa volta que podemos contribuir para a sua mudança e que vamos avançar para os próximos 4 meses do ano.

 

Tudo está em permanente renovação. O mundo que conhecíamos está a mudar e também a perceção que temos sobre o dinheiro ou a sua representação. Nunca como agora assistimos a uma alteração tão rápida do preço e do valor das coisas, e por consequência do que se pode e do que não se pode comprar ou vender. Durante um mês, vamos pensar em conjunto sobre o que é o dinheiro e o que é que ele representa, posto em equilíbrio e relação com o que o dinheiro não pode comprar. 

Por esta razão, é também tempo para celebrar o que não se pode adquirir, mesmo com todo o ouro do mundo, como a lealdade de um amigo, o aconchego de um colo, um beijinho e um sorriso franco. Se a arte serve para nos alienarmos do mundo também servirá seguramente para o compreendermos melhor.

 

Com o Ciclo Dinheiro, que vai decorrer ao longo do mês de novembro, vamos conhecer as histórias que estão dentro das moedas e das notas que andam nos nossos bolsos, perceber como se faz dinheiro, o que é a cripto moeda, ou que afinal as coisas que valem mais têm aparentemente tamanhos muito pequenos. Depois deste ciclo, que também inclui uma oficina de literacia financeira para crianças, e desta vez também para os responsáveis parentais, vamos seguramente ficar a olhar para o dinheiro de uma outra forma. Esperamos que da melhor forma possível. Quanto a nós, garantimos que os preços das atividades do LU.CA não vão mudar até ao final de 2022.

 

Que Grande Estrondo é a reposição do João Fazenda que muitas famílias estavam à espera. Este espetáculo tem uma exposição associada e oficinas ao fim de semana. Ainda em outubro regressamos ao A preguiça ataca?, um espetáculo de dança histórico, criado pela coreógrafa Aldara Bizarro no contexto do antigo Centro de Pedagogia e Animação do CCB, um projeto para adolescentes com um tema sem tempo e por isso sempre atual. Para fechar o ano repomos O Estado do Mundo (Quando acordas), do Miguel Fragata e da Inês Barahona, que se estreou no LU.CA em 2021 e seguramente vai servir de inspiração a uma ação mais sustentável na época do Natal.

 

Susana Menezes, diretora artística