string(7) "#ffb408" Saltar para o conteúdo principal Mapa do Site Ajuda de navegação e acessibilidade web

Os livros do FIMFA

FIMFA Lx'19
Fotografias do interior da caravana do espectáculo Avion Papier

Livros de encantar – Livros para sonhar – Livros para imaginar…

Livros para ver o mundo ao contrário – Livros para sentir o que é extraordinário!

Os espetáculos apresentados no FIMFA falam do que é ser diferente, de podermos imaginar outros mundos, de gostar de coisas diferentes, de monstros que podemos criar a partir de quase tudo, até de roupas! Mas também de sombras feitas com mãos que criam muitas personagens e animais, e outras coisas que tais!

Convidamos-te a fazer uma viagem por estas histórias que escolhemos, e a descobrires onde está a do menino que foi ficando cada vez mais pequenino, até a outro que acordou de manhã transformado num gigantesco hipopótamo! Pelo meio conhecemos o Max que parte num barco até à terra onde vivem os monstros…

E tu? Achas que conheces a tua sombra? Já reparaste se está sempre do mesmo tamanho ou se está sempre contigo? Desafiamos-te a tentares que a tua sombra fique maior do que a dos teus pais e que, sobretudo, não tenhas medo de sonhar com monstros ou de pensar em coisas às avessas…

Deixamos aqui um poema do escritor Robert Louis Stevenson que escreveu sobre a sua sombra, como se fosse um aperitivo e abrir o apetite para devorares os livros! Boa digestão!

 

A Minha Sombra

 

Eu tenho uma pequena sombra que entra e sai comigo,

E o que pode ser o uso dela é mais do que eu posso ver.

Ela é muito, muito parecida comigo, desde os pés até à cabeça;

E vejo-a pular à minha frente, quando eu pulo na minha cama.

A coisa mais engraçada sobre ela é a forma como gosta de crescer –

Não é como as crianças comuns, que são sempre mais lentas;

Às vezes, salta mais alto do que uma bola de borracha,

E outras vezes, fica tão pequenina que não se vê nada dela.

Ela não tem a noção de como as crianças devem brincar,

E só me faz parecer um tolo de todas as formas possíveis.

Ela está sempre colada a mim, é covarde, como podes ver;

Eu ficaria envergonhado de estar tão perto de alguém como esta sombra fica perto de mim!

Certa manhã, muito cedo, antes do sol nascer,

Acordei e encontrei o orvalho a brilhar em cada flor;

Mas a minha pequena sombra preguiçosa, como uma grande dorminhoca,

Tinha ficado em casa, atrás de mim, e estava a dormir na cama.

 

Robert Louis Stevenson

 

A Sombra – Veronica Salinas

Ilust. Camilla Engman. Orfeu Negro

Sombras – Marta Monteiro

Pato Lógico

Quando Teodoro Encolheu – Florence Parry Heide

Ilust. Edward Gorey – Livros Horizonte

Tão Tão Grande – Catarina Sobral

Orfeu Negro

Onde Vivem os Monstros – Maurice Sendak

Kalandraka

Pequeno Azul e Pequeno Amarelo – Leo Lionni

Kalandraka

Desenhos Efémeros – António Jorge Gonçalves

Orfeu Negro

Trocoscópio – Bernardo Carvalho

Planeta Tangerina

Teatro – Atividário

Pato Lógico

 

Fotografia: Pierre Acobas