string(7) "#ef8567" Saltar para o conteúdo principal Mapa do Site Ajuda de navegação e acessibilidade web
Programação online Artes Plásticas Poesia

Poemas para Estes Dias

23 de dezembro a 03 de janeiro

«Aí, onde não alcançam nem o poeta
nem a leitura,
o poema está só.
E, incapaz de suportar sozinho a vida, canta.»

 

Excerto de «Na Biblioteca», de Manuel António Pina

 

Poemas para estes dias chega com urgência e sem ninguém estar à espera, surge para deixar poemas à vista para quando precisarmos deles, aparece quando o mundo nos parecer meio avariado e para garantir que podemos acreditar no que queremos.

 

A poesia chega a estes dias como um sonho com versos que já existiam e traz novas vozes, línguas, desenhos, formas, formatos, sons, cores e mais o que nos formos lembrando. Começa no fim de dezembro de dois mil e vinte – o ano que ninguém esquecerá – e ficará enquanto fizer sentido. Será-para-sempre?

 

23 de dezembro

«Ser ou Não Ser», de Rita Taborda Duarte

26 de dezembro

«O Ano em que o Calendário avariou», de Manuel António Pina

30 de dezembro

«Materiais», de João Pedro Mésseder

3 de janeiro

«Cuidar do tão diferente como tu», de Ana Luísa Amaral