Pensamento Masterclass

Masterclass Filosofia com Crianças – Como ter voz, dar voz, ser e sentir-se parte

Rita Pedro
20 e 22 novembro

Masterclass Filosofia com Crianças – Como ter voz, dar voz, ser e sentir-se parte

Bilhetes

Informações técnicas

Para educadores 20 e 22 nov 18:00 - 20:30
Preço €15 maiores 18
inscrição prévia
com lotação limitada

Masterclass Filosofia com Crianças – Como ter voz, dar voz, ser e sentir-se parte

«Senão havia nada, como é que surgiu alguma coisa?» (Nuno, 8 anos)
«Porque é que existimos?» (Catarina, 7 anos)
«Nós temos nome, não sei quem sou, se calhar nada tem nome.» (Mariana, 8 anos)
«Como é que a primeira pessoa da família nasceu escura?» (Jastina, 10)
«Podemos julgar uma pessoa sem a conhecermos?» (Artur, 8 anos)

 

Para aprender a escutar estas e outras interrogações filosóficas é necessário ultrapassar barreiras bem traçadas da racionalidade adulta e abrir–se ao novo, ao inesperado e ao imprevisível característicos da infância. A criança, com todas as suas perguntas metafísicas, ontológicas, éticas e estéticas (i.e,  perguntas fundamentais do ser humano), convida-nos a entrar no território do espanto filosófico, que nasce porque há qualquer coisa em vez de nada.

 

Esta masterclass, ministrada por Rita Pedro, pretende preparar o adulto para o encontro entre a Filosofia, a Infância e a Pedagogia, através do fornecimento de novas pistas e mecanismos para entrar em devir-criança, saber acolher as interrogações filosóficas das crianças dentro e fora da escola, assim como, alargar o espaço de liberdade de expressão entre o adulto e a criança.

 

Rita Pedro é mestre em Filosofia pela Universidade Nova de Lisboa, sob a orientação do filósofo José Gil. Colabora no laboratório de pesquisa em Filosofia Prática e Aplicada da Universidade de Egeu. Desde 1999, desenvolve projetos de Filosofia com Crianças (FcC) e trabalha nessa área como formadora e animadora. Coordenou projetos de FcC dirigidos a crianças e jovens em contexto de migração, na Associação Moinho da Juventude (2006-2010). Em Cabo Verde, desenvolveu trabalhos de pesquisa em torno da prática de FcC em contexto comunitário  (2009- 2011). Desde 2012, trabalha em parceria com vários artistas, atores e bailarinos na cocriação e animação de experiências artísticas e filosóficas, nomeadamente com a Sílvia Real, no Grupo 23 Amarelo: Silêncio.

Fotografia: LU.CA/Alípio Padilha